29/09/06

Desnatação do creme

"A desnatação do creme" é a tendência dos gestores para ignorarem os aspectos de uma política de avaliação da eficácia que podem prejudicar os seus scores. Por exemplo, uma organização pode decidir prestar bens e serviços apenas aos utentes menos dispendiosos ou mais "atraentes" para as medidas de eficácia. É o que ocorre quando um hospital, para diminuir os tempos de permanência dos doentes, recusa ou se "liberta" de doentes que necessitam de mais tempo e que mais gastam.


PERCEBERAM ! TUDO ISTO É TRISTE, TUDO ISTO É FADO, TUDO ISTO SÃO... OS NOSSOS QUERIDOS E BEM AMADOS GESTORINHOS NOMEADOS SOCRÁTICAMENTE.

( Podem ler o artigo completo carregando no título do post)

4 comentários:

Sr.Valter Ego disse...

Para o Governo,o ideal seria que os hospitais só tratassem doentes com saúde.

Anónimo disse...

Eu cá acho que qualquer dia põem cartazes à entrada dos Hospitais e Centros de Saúde com a seguinte frase "Casa de Saúde: por obséquio, se estiver doente não entre!". Sim, porque o que lixa as contas da saúde não é a gestão danosa, o dinheiro mal empregue, ou as más condições de trabalho. A culpa é dos doentes. Sem doentes, não há hospital que não tenha uma excelente gestão e que não dê lucro!

Sr.Valter Ego disse...

E para poderem ler o cartaz,os analfabetos tenham a bondade de vir acompanhados pelo encarregado de ilustração.

bê disse...

toda esta situação chateia-me à brava, pá!
eu já tinha feito um projecto pessoal de reforma que incluía ficar hospedada num hospital público até bater as botas.

ka ganda xatice!