07/09/06

CML - Roda Gigante - EPUL - BE

A CML ao acabar com a Feira Popular impedindo assim os pobres de um divertimento barato, e que até dava receitas à colónia balnear " o Século" patrocinadora da colónia de férias para os filhos dos pobrezinhos, obrigou-os a fazer uma roda gigante para colmatar tal lacuna na cidade.

O licenciamento do empreendimento foi negociado com a CML, num protocolo efectuado com o patrocínio da Segurança Social, sendo que a receita da venda de bilhetes a favor da EPUL, para pagamento dos prémios dos gestores nomeados.

O vereador do BE protestou informando, em comunicado de imprensa, que irá meter uma providência cautelar, dado que não ter sido feito o estudo de impacto ambiental .

Carmona Rodrigues, confrontado, refere que o BE não fomenta a criatividade, o espírito de iniciativa e empresarial dos pobrezinhos lisboetas.

2 comentários:

bê disse...

lisboa precisa tanto de uma roda gigante
como um pato precisa de barbatanas.

se o sô-presidente olhasse mais para o chão
em vez de criar rodas-gigantes no ar
percebia o quanto a cidade
está degradada e mal-cuidada e
onde tem de se investir.

não há uma santa gaivota que lhe defeque em cima? aí sempre ele olhava pró ar com uma certa pertinência.

Menina Idalina disse...

Confesso que a cagadela de gaivota no Carmona é uma perspectiva assaz cativante.