18/02/09

Confissões Anormais !

Photobucket


«Casamento homossexual não providencia educação normal a crianças», disse hoje um cardeal qualquer cá do burgo !

Ó senhor padre como explica na sua pobre cabeça, o facto de todos os homossexuais terem sido educados numa família heterossexual? Não percebeu a pergunta ? Pois... já percebi sofre de uma hipoacusia selectiva bilateral ...


Mas, como não fosse a coisa ainda não ser perceptível, na sou douta ignorância, ainda acrescenta que "o casamento entre homossexuais não providencia uma educação normal a crianças a quem falta um pai e uma mãe".

Ó sr. padre, que fazer com as crianças a quem morre um progenitor? Institucioná-las num seminário ? Não percebeu a pergunta ? Ah! está em lista de espera para um transplante de cérebro ... pois , ainda não o conseguiu .

Olhe, e que me diz da pedofilia de seus congéneres. Ah! sim.. pois OK. Não está dentro do assunto, não sabe falar línguas .

Estamos conversados .

FUCK YOU !

2 comentários:

M. disse...

HAHAHAHHAH Não aguento, escangalhei-me a rir...

À parte da piada do FU, o senhor Cardeal podia ter colocado a questão de outra maneira. É um facto que ninguém se sente confortável, por exemplo, com os regimes de adopção praticados em Portugal, difícil e muitas vezes infrutífera. A verdade, no fim do dia, é que crianças que podiam ter uma casa (ainda que monoparental, por exemplo), na qual seriam mais amadas do que são, por exemplo, num orfanato. Ou seja, deveríamos todos ser mais exigentes em relação à adopção (no seu todo).

O que eu acho absolutamente inaceitável é que se coloquem as coisas ao nível da "normalidade" - pai e mãe.

resumindo: até posso concordar que a adopção por casais homossexuais esteja muito lá em baixo nas prioridades sociais, por uma serie de razões. O que não acho aceitável é que (i) se dê o exemplo da normalidade de um pai e de uma mãe, numa sociedade cada vez mais monoparental, e (ii)que uma pessoa com as responsabilidades públicas que o Cardeal tem, não tenha a sensibilidade e o bom senso para medir as palavras.

Vamos por partes

Menina Idalina disse...

M: Nesta história nada é aceitável . Nem os direitos assim às pinguinhas... nem o preconceito ... nem a estupidez . Eu acho !